Horário de Funcionamento  
2ª á 5ª das 8:00 ás 18:00 hs
6ª das 8:00 ás 17:00 hs
SOLUÇÃO EM LAMINADORAS !
 

 

Imprimir esta páginaAcrescentar aos Favoritos

O que é laminação?

Os processos de laminação consistem nos métodos existentes para ­união de dois ou mais suportes (papel, cartão, folhas metalizadas e filmes plásticos). Tem como finalidade au­men­tar a espessura e a rigidez, além de proporcionar proteção e embelezamento ao produto.

A diferença entre a plastificação e a laminação é o fato da plastificação ser aplicada utilizando apenas calor e pressão, enquanto a laminação emprega adesivos, além do calor e pressão.

O que determina os diferentes sistemas de laminação são os desenvolvimentos dos adesivos e a tecnologia nos equipamentos de laminação. A meta é aper­fei­çoar a tecnologia de aplicação da laminação, di­mi­nuir custos, au­men­tar a velocidade de operação e res­pei­tar as exi­gên­cias ecológicas, elevando a competitividade da indústria do enobrecimento.

Os adesivos deverão ser especificados de acordo com o uso. Há três tipos de adesivos: com solvente, à base de água e sem solvente. A tendência é a utilização de equipamentos que laminem com adesivos sem solvente, uma vez que, além de cumprir as exi­gên­cias am­bien­tais, é uma alternativa técnica economicamente atrativa por apresentar menor investimento na compra de equipamentos novos.

O processo de laminação se divide em três tipos diferentes:

1) Laminação a frio (sensível à pressão):

A laminação a frio oferece vá­rias opções de filmes: polipropileno, po­liés­ter, policarbonato ou vinil, podendo ser do tipo permanente com alta ou bai­xa adesão, re­po­si­cio­ná­veis, com ou sem proteção UV. É quase que exclusivamente um processo de laminação frontal.

2) Laminação aquecida

Laminação de filmes sen­sí­veis à pressão, em que o adesivo utilizado precisa de um pou­co de calor para ser ativado. As temperaturas usadas são significativamente menores do que as ne­ces­sá­rias na laminação a quente. O recurso do calor oferece mais rapidez no pe­río­do de ajustes do que a laminação a frio.

3) Laminação a quente

Laminações a quente são es­sen­ciais para uma ver­da­dei­ra encapsulação, pois há uma fixação forte entre os ma­te­riais e o impresso pode ser ma­nu­sea­do após o processamento. O ponto fundamental para se ter bons resultados com a laminação está na com­preen­são de como as va­riá­veis do processo (tempo, temperatura, pressão e tensão) interagem com os ma­te­riais.

4)Acabamentos
A laminação pro­por­cio­na vá­rios acabamentos, que va­riam conforme o plástico aplicado. As laminações foscas e brilhantes são mais usadas em pastas pro­mo­cio­nais ou capas fle­xí­veis. A laminação gofrada, um processo que enruga o plástico, é mui­to utilizado para capas de livros ou catálogos.

Alguns cuidados ao laminar:

  • Aguardar a secagem completa da impressão do ma­te­rial que será laminado, garantindo a fixação do plástico sobre a superfície.
  • Evitar o uso de pastas ou ceras nas tintas durante a impressão, pois estas prejudicam a aderência do plástico. Evitar também o uso de pó antimaculador na saí­da da impressora, pois as partículas do pó são hidroscópicas, produzindo bolhas que se rompem cau­san­do a delaminação do plástico após o refile.
  • Ajustar a pressão, a velocidade e a temperatura da laminação de acordo com cada tipo de material: materiais mais rugosos exigem ­maior pressão e menor velocidade.
  • Evitar o uso excessivo dos ­freios de desbobinamento, que podem provocar encolhimento ­maior que o normal (≈3%) e facilitar o rompimento do filme de po­liés­ter. O uso excessivo causará ondulações na laminação, portanto os ­freios devem ser constantemente verificados para evitar seu travamento e o desgaste do filme.
  • A largura das bobinas de po­liés­ter deve ter, no máximo, 20 mm a mais do que a largura do material a ser laminado, evitando a formação de ondulações no rebobinamento do po­liés­ter.
  • Utilizar ma­te­rial coletor de cola (liner) em boas condições, pois, se desgastado, gera o surgimento de bolhas durante a laminação.
  • Ava­liar o rolo de pressão para verificar a necessidade de retífica.
  • Limpar o cilindro térmico com pano macio álcool isopropílico. Nunca usar qualquer ma­te­rial abrasivo, que pode comprometer a qualidade da laminação.

 

Referências:

Disponível em: HTTP://www.revistatecnologiagrafica.com.br

 

 

 
 
 
Atendimento 

Exibir mapa ampliado
 LOCALIZAÇÃO
 
 
 
 
 
 




 
 
 
 
 
 
 
 
 
Todos os textos e artigos veiculados neste site são de autoria e propriedade exclusiva da Femak laminadora. É proibida toda e qualquer cópia do conteúdo deste site, sob penas da legislação de direitos autorais e propriedade intelectual vigentes.